Como o Medo do Desconhecido, Aversão à Perda e Viés de Risco Zero podem acabar com um negócio se o UX Design for falho

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Você já foi no mercado, viu aquela geléia recém lançada, viu que parecia uma delícia, mas acabou decidindo por comprar a mesma geléia de mocotó do copinho de vidro de sempre?

Um dos motivos disso acontecer é: o medo do desconhecido. “E seu comprar aquela geléia resplandecente e apetitosa que está com 10% de desconto na semana de lançamento e eu não gostar?” – hu-hum

Em geral, as pessoinhas humanas têm medo de mudança e do desconhecido, principalmente quando tem dinheiro ou saúde envolvido. E isso tem a ver com a nossa instintiva aversão à perda.

Continuar lendo

Como reter usuários com a Psicologia da Falácia dos Custos Irrecuperáveis e UX Design

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Você já foi num restaurante, pegou mais comida do que devia e depois ficou com pena de jogar fora e acabou comendo mesmo já estando empanzinado? Ou foi no cinema, pagou pelo ingresso, o filme era uma porcaria, e mesmo assim você ficou até o final.

Esse fenômeno psicológico tem nome: Falácia dos Custos Irrecuperáveis.

Significa que se as pessoinhas humanas já investiram muito tempo ou dinheiro em algo, estarão mais propensas a continuar investindo mais, tendo cada vez mais dificuldade de abandoná-lo.

Continuar lendo

Não subestime os testes de usabilidade em projetos de UX Design

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Esses dias, eu errei. Eu estava trabalhando na minha startup, que a gente está desenvolvendo um produto físico para o setor imobiliário, e eu entreguei o protótipo nas mãos de uma pessoa e pedi para testar.

O modo de usar ele é óbvio. Você pega, coloca na posição e usa. Melzinho na chupeta. Pelo menos, na minha cabeça. E aí, eu percebi que, realmente, não existe tarefa óbvia. O clichê é real: o que parece fácil pra mim, pode não parecer para o outro.

Continuar lendo

Viés vs. Pesquisa do Usuário: como evitar resultados enviesados em projetos de UX Design

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“No vídeo anterior, eu disse que as pessoas são propensas a mentir em pesquisas, e tendem a responder o que acham socialmente aceitável. Então, quer dizer que todo mundo é caozeiro e não adianta mais fazer pesquisas?

Não é bem assim. A resposta depende da pergunta. O resultado da pesquisa depende da forma como você a conduz. Inclusive, depende de quem analisa os resultados da pesquisa. Se você acredita muito que seu bolo de jamelão com pitanga é bom, se não tomar cuidado, sua pesquisa vai se inclinar para esse lado com o viés de confirmação.

Continuar lendo

Usuários mentem em Pesquisas de UX – Tendem a responder o que acham sociavelmente aceitável

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Se eu te perguntar uma coisa, você vai dizer a verdade? Acho que não. Calma, olha só. Imagine que você criou um produto – um aplicativo, um vestido, um bolo – e quer saber, agora, se as pessoas o comprariam, se é um porcaria ou se iriam aprová-lo.

É simples, não é? Se a gente for pela metodologia Double Diamond, no final da terceira etapa, bastaria testar com nosso público-alvo. Mas, aí, entra um detalhe: as pessoas mentem, e muitas vezes nem intencionalmente. E, piora ainda, quando tem dinheiro envolvido.

Continuar lendo

Como usar o Design para criar hábitos nos usuários com o Condicionamento Clássico de Pavlov

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Vem cá, olha isso, ó… (Rian mexe no pacote de torrada). Sempre quando mexo em algum pacote de pão ou biscoito, o Douguinho já me olha como se estivesse sem comer há dois dias. Algo parecido também acontece quando pego a chave… porque, você sabe, o Doguinho é bem saidinho e fica doido pra ir lá fora.

Isso tem nome: Condicionamento Clássico de Pavlov. Em resumo, memória associativa. É um tipo de aprendizado automático e inconsciente. Ligar dois estímulos distintos pode ser uma boa maneira de criar um aprendizado sobre algo. Ou de estimular alguém.

Continuar lendo

Quais são as diferenças entre UX e CX (Experiência do Usuário e Experiência do Cliente) — Experiências Humanas com produtos e marcas

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Vídeo um pouco diferente mas necessário sobre UX e CX – Experiência do Usuário e Experiência do Cliente. Tenho visto muita gente no LinkedIn confundir UX com CX, o que me preocupa bastante.

É como confundir goleiro com zagueiro. Os dois fazem de tudo para a bola não entrar no gol, mas um está entre as traves e usa as mãos e o outro confronta os atacantes com os pés. Não que eu seja expert em futebol, mas em Design de Experiências sim.

UX e CX: nos dois casos, o ser humano deve ser colocado no centro do projeto. Ambos lidam com experiências humanas. Mas o cara que trabalha com UX defende a experiência com o produto; e CX, com a marca.

Continuar lendo

Paradoxo Pepsi: como as lembranças, memória a longo prazo e emoções afetam a percepção e Experiência do Cliente (CX)

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Pensa numa Coca-Cola geladinha… delícia, né? É, mas e se eu te disser que você prefere Pepsi e talvez nem saiba disso?! É o que diz uma pesquisa. É, isso mesmo!

Numa pesquisa, fizeram o experimento com pessoas que há tempos não bebiam refrigerante. Provaram os dois refrigerantes. Quando estavam com olhos vendados, disseram que Pepsi era mais gostosa, mas quando estavam de olhos abertos, escolhiam Coca.

Continuar lendo

Faça o usuário comprar mais com o efeito psicológico Cashless (Sem-Dinheiro) e melhore a UX

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Você costuma usar cartão de crédito ou dinheiro vivo? Você sabia que quanto menos a gente vê o dinheiro físico, mais tendemos a gastar?

Existe um viés cognitivo – um fenômeno que acontece na nossa ‘cachola’ – chamado de efeito Cashless (efeito Sem-Dinheiro, em português). Quando tiramos o “dinheiro vivo” da nossa carteira para pagar algo, tendemos a sentir certo desconforto, chamado de ‘efeito da dor de pagamento’. Em geral, temos dificuldade em nos desprender das nossas coisas.

Continuar lendo

Cegueiras psicológicas que afetam a Experiência do Usuário

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Olha que curioso. Hoje, vi um pássaro na sacada da minha casa. Ele tava cantando ali fora e, do nada, deu um rasante na porta de vidro… “ô, doido, a saída é pra lá, rapaz. Vai!” Ele bateu no vidro porque pensou que o reflexo era a própria natureza. E isso já aconteceu comigo também. Na verdade, duas vezes comigo, com a Gisele e com o Douguinho. Simplesmente, passei reto no vidro, mesmo tendo um puxador flutuante no meio do caminho.

Continuar lendo

Tarefas repetitivas e a Experiência do Usuário

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Você já precisou fazer alguma tarefa repetitiva e desejou encontrou uma forma de agilizar tudo?

Sei lá… etiquetar vários produtos para enviar pelo correio. Ou enviar uma mensagem de natal para cada um dos clientes. Ou até agendar o pagamento de dezenas de boletos de uma só vez. Ninguém gosta de fazer tarefa repetitiva.

Continuar lendo

Consistência, atrito cognitivo e o adoçante fora do lugar – Psicologia aplicada ao UX Design

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Eu sempre bebo café com adoçante. E minha mulher também. E aí surge um desafio diário: encontrar o adoçante.

Hoje, fui fazer café bem cedinho, como de costume. E fui usar o adoçan… ué, cadê o adoçante?! Ah, tá aqui. Não, não tá aqui. Ah, deve tá ali. Ah não, não tá ali. Aqui? Talvez aqui? Ali? Lá?! Ah, tá aqui, lógico!

Continuar lendo

Lições do Natal para as Pesquisas de Design – Viés da Reciprocidade e Psicologia ao UX

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Natal e startup? E pesquisas de design? Que lições podemos tirar dessa época tão inspiradora para nossos projetos de design e negócios inovadores?

Primeiro: Reciprocidade. Nenhuma startup se mantém de pé sem pensar no que a sustenta: o usuário. O viés da reciprocidade diz que tendemos a querer ajudar aquele a quem nos ajudou. Pense em como lucrar mas, antes, em como ajudar aquele que usa seu produto.

Continuar lendo

Cegueira por Desatenção: Faça o usuário pensar às vezes – Psicologia aplicada ao UX Design

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“Hoje eu fiz uma compra no Mercado Livre e, por descuido, coloquei o endereço errado, de um dos meus funcionários, porque estava salvo na minha conta. Por sorte, reparei na hora e consegui fazer o cancelamento e estorno do valor quase que de imediato. Mas, isso aconteceu por falha minha ou por falha do design do site? Ambos. Não tive tanta atenção mas o Mercado Livre também não me avisou com ênfase.

Continuar lendo

Metaverso e a Experiência do Usuário – Psicologia da comunicação e Design

Rian Dutra falando sobre Psicologia aplicada ao UX Design

“E o metaverso? Bill Gates disse que em três anos, todas as reuniões de negócio seriam no metaverso. Sabe? Aquela realidade virtual maquiada que a antiga empresa Facebook diz ser algo revolucionário. Mas, será? Ao meu ver, nada mais é do que um tipo de realidade virtual desenvolvida de forma a nos permitir ver outras pessoas num mesmo ambiente virtual.

Continuar lendo